Dia 65 - "Hoje melhor que ontem, pior que amanhã"

Gisela Rao

Kaizen. Essa frase japonesa aí de cima reflete bem a minha situação extamente de um ano pra cá. Dia 7 de novembro de 2010 eu estava triste pra diabo. Minha mãe havia morrido há menos de 1 mês, eu não tinha vontade de falar com as pessoas que me ligavam pra dar feliz aniversário (praticamente não comemorei), eu estava com cara de 5 anos de idade porque minha cabeleireira tinha tosado a minha franja (achando que eu ficaria feliz em parecer mais jovem). Pena que não tenho mais a foto. Joguei fora pra não lembrar mesmo.


Eu estava tão mal que, no dia do Natal, eu li minha própria matéria para o UOL sobre depressão de fim de ano pra ver se melhorava ahahaha. Agora, tô rindo, né? 😉

Hoje, exatamente hoje, 365 dias depois, eu estou feliz pra caramba porque a vida está sendo muito generosa (apenas ainda sinto pela partida da gata Pipi :( . Sim, mesmo os pelos branquinhos dando mais o ar da graça e mesmo eu estando com uns quiletes a mais.


Eu já falei aqui sobre “tudo melhora, tudo melhora, tudo melhora”. E agora falarei sobre isso, do nosso desejo de que hoje seja melhor do que ontem e pior que amanhã. Bom, pelo menos é o que acho que todo mundo aqui deseja. Mesmo a turma do apêgo-ao-sofrimento no fundo quer isso.

Então, não deixe pra eternidade, não, pra você vibrar nessa sintonia. É aqui e agora.

“A felicidade não é algo que já vem pronto. Ela decorre de seus próprios atos” – Dalai Lama

Para o alto e avante!!

> Agradeço a todos os votos de felicidade que me mandaram!!!

 

Amigas queridas, presentes adoráveis e os sapatos de pele de tilápia da coleção da Michèle Neyret :) http://migre.me/661uM

 

> Bom pra autoestima> artigo de Gisela Rao sobre “cuidado com o que você pede. Vai que acontece…”: migre.me/65LQI

***************************************************************

Já tem o livro à venda na Fnac real e virtual: http://migre.me/5WgVv

O divertido diário da escritora que vigiou sua autoestima por 365 dias!

***************************************************************

Palha = baixa  Madeira = média  Tijolaço = ótima

Hoje: autoestima de tijolaço 

O “lobo mau” interno que me detonou: nenhum

O que fiz de bom por mim? aceito a felicidade

***************************************************************

Sobre a autora

Gisela Rao é publicitária, escritora e está jornalista. Acredita piamente que a "imperfeição" liberta. A palavra está entre aspas porque, como dizia Buda, o que é certo e o que é errado no universo da ilusão? Leia mais

Sobre o blog

Espaço pra quem cansou de esconder a barriga com a almofada da sofá, de pedir pro amigo dar um tapa naquelas rugas da foto do perfil no Face, de usar salto alto em casamento e voltar cheia de esparadrapo para casa, de transar no escuro com vergonha do corpo e de se chamar de Free Willy quando se olha no espelho.

topo