Minha Vida Sem Photoshop

O dia em que recusei ficar 10 anos mais jovem em 4 minutos

Gisela Rao

10/07/2017 21h10

Às vezes, eu me sinto como Alice, presa atrás do espelho do País das Maravilhas. Eu me vejo jovem, mas ninguém me vê. Então, eu resolvi entender que as pessoas miram em uma realidade que não é a mesma que a minha, e assim é. Mas, na semana passada, eu fui fazer reflexos no cabelo e, na saída do salão, uma moça veio na minha direção me mostrando um folheto e uma amostrinha de alguma coisa. O folheto prometia ficar 10 anos mais nova em 4 minutos. Uau! Eu pensei. Ela pegou meu telefone pra mandar uma mensagem depois da experiência, certamente querendo me vender mais quilos do produto.

Bom, cheguei em casa, passei o treco na cara e fiquei impressionada: minhas rugas tinham desparecido completamente, principalmente aquelas entre as duas sobrancelhas, que a gente vai cultivando por excesso de indignação com as coisas estúpidas que as pessoas pensam, falam ou fazem, como, por exemplo: não entender até agora os direitos dos refugiados.

Dez minutos depois, a moça me mandou o whats. Cáspita! Juro que pensei que ela estivesse me espiando via um drone flutuando na janela do banheiro ahahaha. Ela queria saber se poderia me encomendar mais do produto. Eu disse que não, obrigada! Bom, talvez eu adivinhe a porcentagem de gentes que está lendo este texto achando que sou grogue da cabeça, mas, na boa, a quem eu enganaria? A mim? O marido? O espelho?A tia do cafezinho? O parapsicólogo Padre Quevedo?

Eu não quis porque me sentiria como o Professor Aloprado (Eddie Murphy), que era muito gordo e toda hora precisava correr para tomar a poção que o deixava magrinho. Imagine, você conhece um cara e vai pra casa dele. Vai dormir Ticiane e acorda Helô Pinheiro, afinal, o efeito dura de 4 a 8 horas.  Nossa, que estresse!

A cada ano, vou invéiando, mas – well – os mais originais dirão que faz parte da vida. Enquanto isso, vou “passando” rejuvenescedores nos neurônios. Tomo água, faço massagem pra circulação na cachola, como nozes,  fico em posições invertidas na yoga, como gengibre, aprendo línguas novas etc etc etc. Porque é essa beleza que me interessa – a das sinapses . É com ela que voo sem milhas, que crio, que inovo, que aprendo, que ensino. Meu cérebro é meu spinner, e eu gosto de girá-lo pra um lado e pro outro, velozmente, até se fundir nas ideias e coisas incríveis que estão esperando por aí, em todos os lugares.

Até mais!

Gisela Rao

==================

Vem me seguir, aqui : )

https://www.facebook.com/minhavidasemphotoshop

https://twitter.com/giselarao

Sobre a autora

Gisela Rao é publicitária, escritora e está jornalista. Acredita piamente que a "imperfeição" liberta. A palavra está entre aspas porque, como dizia Buda, o que é certo e o que é errado no universo da ilusão? Leia mais

Sobre o blog

Espaço para - como dizia Nelson Rodrigues: mostrar a vida como ela é, sem pintar pombo de verde e chamar de meu louro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop

Minha Vida Sem Photoshop

Por que trocar a lâmpada ficou mais interessante que nós?

Nos últimos meses, que coincidem com o tempo que não tenho viajado, tenho a estranha sensação de não ter assunto-próprio. Não estou falando do monte de filmes que assisto no Netflix, ou dos assuntos que saem na home do UOL ou do Tiscali.it. Estou falando de assunto próprio, coisas incríveis que vejo ou sinto e que ficam se acotovelando para escorregar no tobogã da garganta para fora. O triste é que percebo que não é só comigo: às vezes vou em almoços ou jantares coletivos onde ninguém tem também assunto-próprio, digo, algo mais interessante do que trocar uma lâmpada quebrada. Assistindo a uma palestra do incrível tarólogo Arhan (sim, nesse dia fui atrás de assunto-próprio!), ele disse uma coisa muito assustadora: “Cada vez menos vejo a carta do “Louco” no jogo de tarô das pessoas. É assustador porque o Louco é a carta ligada a seguir a intuição. Nas palavras do Arhan: “O Louco é o arcano sem número do tarô, está presente em todos os caminhos da nossa jornada pessoal. Ele representa o campo de todas as possibilidades em nossa vida é o momento do salto quântico existencial. Aquele que é capaz de gerar a si próprio. Esta carta não dá valor aos valores dos homens. "O Essencial será sempre invisível aos olhos". O que nos dará a certeza de uma direção segura, nosso norte, será o canal intuitivo, representado na carta por um cachorrinho que tenta avisar o louco do abismo a sua frente. Mas perante aos outros, qualquer atitude ou escolha, neste momento da sua vida, será considerada Louca! Por isso, não dê ouvidos! A caravana passa e os cães ladram…Misture a sua "maluquez" com a sua lucidez, seja livre e siga em frente! Ação a ser tomada: Rever valor para gerar a si próprio”. Então tem um monte de coisas erradas aí, estamos com preguiça, estamos acomodados, estamos sem coragem pra alçar novos voos, pra fazer coisas novas, estamos vendo tv e internet demais. Não acho que as respostas estejam em viajar mais, embora ler o livro “Diários Marroquinos” (Kívia Mendonça) dê um tremendo frio na barriga (ela ficou um tempão no Marrocos viajando sozinhaaaaa de carona). Eu acho que a resposta está em viver mais, reloadar na gente aquela criança curiosa que eramos na infância. Onde está você, Giselinha, que furava o dedo sem medo para ver as células – tão lindas – psicodelicando na plaquinha de vidro no microscópio? "Se o homem persistisse em sua loucura, tornar-se-ia sábio" - William Blake +++++++++++++++++++++++++++++++ giselarao@gmail.com

Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Minha Vida Sem Photoshop
Vigilantes da Autoestima
Minha Vida Sem Photoshop
Vigilantes da Autoestima
Minha Vida Sem Photoshop
Vigilantes da Autoestima
Minha Vida Sem Photoshop
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Vigilantes da Autoestima
Topo